terça-feira, 12 de maio de 2009

Kim aquiii !

2 comentários:
Aêee !
Nosso blog foi um sucesso...
A professora ADOROU ! Deu a nota máxima p/ ele...
Valeeu 'fessora' !!

Beeijos gente !

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Noçoes basicas

Um comentário:

DADOS PRINCIPAIS:

Área: 1.098.581 km²
Capital: La Paz (administrativa) e Sucre (constitucional, judicial)
População: 9,62 milhões (estimativa 2006)
Moeda: boliviano
Nome Oficial
: República da Bolívia
Nacionalidade: boliviana
Data Nacional: 6 de agosto Dia da Independência.
Governo: República Presidencialista

GEOGRAFIA:

Mapa da Bolívia
Localização: região centro-oeste da América do Sul
Cidade Principais: La Paz, Santa Cruz de la Sierra, Cochabamba, Alto e Oruro.
Densidade Demográfica: 8,76 hab./km2
Fuso Horário: - 1h
Clima: equatorial (na região amazônica) e de montanha (região da cordilheira dos Andes)

DADOS CULTURAIS E SOCIAIS:

Composição da População: quíchuas 30%, aimarás 25%, eurameríndios 15%, descendentes de europeus ibéricos 15% e outros 15%.
Idioma
: espanhol, aimará e quíchua (todos oficiais).
Religião
: cristãos 98,9% (católicos 88,3%, protestantes 10,6%) e outras religiões 1,1%
IDH: 0,692 (2006)

ECONOMIA:

Produtos Agrícolas: cana-de-açúcar, soja, castanha, café e frutas
Pecuária: bovinos, suínos, caprinos, ovinos e aves.
Mineração: gás natural, petróleo, zinco, estanho, prata e ouro.
Indústria
: alimentos, refino de petróleo e bebidas.
Renda per capita: US$ 10.828 (estimativa 2006).

Educaçao

Nenhum comentário:
A educaçao na Bolívia, assim como outros aspectos na vida dos bolivianos, tem uma divisão entre a área rural e a urbana. O anafalbetismo rural se mantém alto, mesmo que o resto do país tenha aumentando o índice de alfabetização. Essa diferença é causada parcialmente pelo fato de que muitas crianças vivendo em áreas rurais são forçadas a contribuir economicamente para a renda familiar, e assim é muito mais improvável que frequentem a escola. Na média, as crianças da área rural frequentam a escola por 4,2 anos, enquanto as crianças da área urbana recebem educação por uma média de 9,4. Uma diferença de gêneros também existe. O índice de alfabetização do país é de 86,7% é comparavelmente menor que os outros países da América do Sul.

Os problemas da educação da Bolívia não são necessariamente atribuídos à falta de fundos. O país reserva 23% do seu orçamento anual para gastos educacionais, um percentual maior do que a maioria dos outros países da América do Sul, apesar de ter um orçamento nacional menor.

Uma reforma fez algumas mudanças significativas. Iniciada em 1994, a reforma descentralizou os fundos para educação para se adequar as diversas necessidades locais, melhorar o treinamento de professores e o curriculum, formalizar e expandir a educação bilingue e modificar o sistema de séries escolares. Resistência da união de professores, entretanto, tem atrasado a implementação de algumas partes da reforma.

Economia

Nenhum comentário:

Carol Brum :A Bolívia é, há muito tempo, um dos países mais pobres e menos desenvolvidos da America Latina, tendo feito progressos consideráveis no sentido do desenvolvimento de uma economia de mercado. Durante a Presidencia de Sánchez de (1993-1997) a Bolívia assinou um tratado de comércio livre com o México e procedeu à privatização da linha aérea estatal, da companhia de telefones, das ferrovias, da companhia elétrica e da companhia petrolífera.

O crescimento abrandou em 1999, em parte devido a políticas orçamentais restritivas que limitaram os fundos necessários para programas de luta contra a pobreza, e às consequências da Crise financeira Asiatica . No ano 2000 sérios distúrbios públicos em abril e entre setembro e outubro baixaram o crescimento para 2,5%. O PIB boliviano não cresceu em 2001 devido ao abrandamento global e à vagarosa actividade doméstica.



Bolívia.
Exportações para Importações de
País Porcentagem País Porcentagem
Brasil Brasil 44,2 % Brasil Brasil 21.9 %
Coreia do Sul 11,8 % Argentina 16.7 %
Estados Unidos 6,9 % Estados Unidos 13.8 %
Argentina 5,8 % Chile 6.9 %
Peru 5,7 % Peru 6.5 %
Outros 25,6 % Outros 34.2 %

Geografia.

Um comentário:

A Bolívia é um país sem litoral. O ocidente da Bolívia está situado na cordilheira dos Andes, com o pico mais elevado, o Nevado Sajama, a chegar aos 6542 metros. O centro do país é formado por um planalto , o Altiplano, onde vive a maioria dos bolivianos. O leste do país é constituído por terras baixas, e coberto pela floresta úmida da Amazonia. O lago Titicaca situa-se na fronteira entre a Bolívia e o Peru. No ocidente, no departamento de , encontra-se o Salar de yuni, a maior planície de sal do mundo.

As cidades principais são La paz, Sucre, Santa Cruz de la Sierra e Cochabamba.

A região Oriente, a norte e leste, compreende três quintos do território boliviano, é formada por baixas planícies de muitos rios e grandes pântanos. No extremo sul localiza-se o Chaco boliviano, pantanoso na estação chuvosa e semi-desértico nos meses de seca. A nordeste da bacia Titicaca visualizam-se montanhas extremamente altas de 3.000 a 6.500 metros. Notamos que as montanhas de mais altitude caem em ângulos praticamente retos até se transformarem em planícies.

Os Andes atingem a Bolívia e se dividem em duas grandes cadeias, a Oriental e a Ocidental. Nota-se que a cordilheira Ocidental é formada por vulcões inativos ou extintos, e suas rochas são formadas de lava vulcânica petrificada. Possui uma altitude de 3.700 metros, com 800 quilômetros de comprimento e 130 de largura. A cordilheira Oriental é composta de diversos tipos de rochas e areia.


Organização territorial

Nenhum comentário:


A Bolívia se subdivide em 9 departamentos, 112 Provincias 327 municipios e 1.384 cantoes, os quais obtiveram uma maior autonomia logo com a Lei da Descentralização Administrativa de .

Divisão política

Departamento População Superfície (km²) Densidade (*) Capital (Hab.)

República da Bolívia 10.027.644 1.098.581 9,1 Sucre
Beni 430.049 213.564 1,9 Trinidad (86.385)
Chuquisaca 631.062 51.524 11,9 Sucre (247.259)
Cochabamba 1.786.040 55.631 22,7 Cochabamba (586.813)
La Paz 2.756.989 133.985 19,9 La Paz (835.000)
Oruro 444.093 53.558 8,2 Oruro (216.620)
Pando 75.335 63.827 1,1 Cobija (32.217)
Potosí 780.392 118.218 6,5 Potosí (149.246)
Santa Cruz 2.626.697 370.621 7,1 Santa Cruz de la Sierra (1.538.343)
Tarija 496.988 37.623 12,5 Tarija (170.906)
(*)= Todos os dados de população são projeções do Instituto Nacional de Estadística de Bolivia (INE) para 2008 [1]. A densidade departamental está calculada com a projeção da população de 2006.

Outras cidades importantes são (por departamento): La Paz: El Alto 827.000, Cochabamba: Quillacollo 90.000 Sacaba 127.000, Tarija: Yacuiba 90.000, Santa Cruz: Montero 90.000, Beni: Riberalta 78.000.



Um comentário:


Caroline Brum Aqui:

Estado

Estado Boliviano



Vista da Cúpula do Congresso Nacional da Bolívia que junto ao Palácio Quemado se encontram em La Paz, sede do governo.

Palácio da Corte Suprema de Justiça, Sucre

A Bolivia é oficialmente um Estado unitárioa democratico organizado segundo a separaçao de poderes (Executivo, Legislativo, Judiciário e Eleitoral) e de maneira descentralizada e presidencialista. O Estado se rege segundo a Constitução Política da Bolívia aprovada no ano de 2009 que entrou em vigor neste mesmo ano.


Poder Executivo

O Poder executivo é encabeçado pelo Presidente da República. Este cargo é exercido por Evo Morales Ay membro do partido Movimiento al Socialismo. O executivo é tradicionalmente o poder mais forte na política boliviana, tendendo a deixar em segundo plano a participação do Congresso, cujo rol se limita a debater e aprovar as iniciativas legislativas do presidente.

O presidente de Bolivia, eleito a cada cinco anos, é Chefe se estado e de Governo nomeia o gabinete de ministros.


Governo Departamental

Os governadores de cada departamento (chamados Prefeitos) são eleitos democraticamente porém com regras diferentes das eleições nacionais e municipais. A variação consiste em que o candidato mais votado, seja por maioria simples ou absoluta, será eleito automaticamente prefeito. Alguns acreditam que, apesar das mudanças operadas, o processo de descentralização boliviano é incompleto, já que a Assembleia Constituinte é quem deixará claro os poderes e limitações dos prefeitos eleitos pela primeira vez pelo voto direto.


Municipalidades

Os municipios são governados por prefeitos e conselhos eleitos diretamente pelo povo.